Rodrigo de Toledo

Biografia

Rodrigo de Toledo é co-fundador da Knowledge21, Certified Scrum Trainer (CST) pela Scrum Alliance, Kanban Coaching Professional (KCP) e Accredited Kanban Trainer (AKT) pela Kanban University, além de Licensed Management 3.0 Facilitator. Com Ph.D na França, possui diversos artigos internacionais e lecionou por doze anos na PUC-Rio e na UFRJ, duas das principais universidades da América do Sul.

Redes Sociais

Certificações

CSTAKTKCPMGT30-FACILITATOR

Últimos Artigos

Exclamação, Interrogação,Perguntas

Vamos trocar exclamações por interrogações?

Essa sugestão serve para várias situações de vida, desde o trabalho de um coach ou de um Scrum Master (SM) até no nosso dia-a-dia em redes sociais. Se comunicar usando perguntas é muito mais empático e educativo. Aliás, essa frase-título só parece uma sugestão porque está no formato de pergunta, se não iria parecer uma

mehoria continua

Melhoria Contínua: a dor de hoje é o êxito de amanhã

“A dor de hoje é o êxito de amanhã”. Essa frase parece até algum ensinamento de autoajuda, mas ela está ligada a um valor essencial nos métodos ágeis: a melhoria contínua! Para explorar esse assunto, resolvi então trazer outras frases de efeito: “Métodos ágeis não resolvem problemas, mas os expõem!” A exposição dos problemas é

Imagem do filme Avatar em que Neytiri protege Sully com uma faca e grita! Na imagem o grito foi substituído por NÃO PEGA NO MEU AVATAR!

Não pega no meu Avatar!

Por que usar Avatar no quadro de tarefas? Avatar significa uma representação em um outro mundo. Por isso, o nome do filme Avatar. Porém, em um quadro de tarefas, denominamos Avatar a nossa representação no mundo do trabalho. Em geral, usar avatar no quadro de tarefas significa que há uma imagem associada a cada membro

Humanos sim, Recursos não!

Humanos sim, Recursos não!

São três os motivos para não chamarmos os Humanos de Recursos: Trabalho criativo não é linear (recurso remete à ideia de linearidade); Desconsidera a principal variável no resultado de um time: a colaboração; Rotula as pessoas como se elas não fossem capazes de aprender coisas novas. Nesta Parte 1 de ‘Humanos sim, Recursos não!‘, estou

BDUF

BDUF: A arte de fazer coisas que não deveriam ser feitas

BDUF é um acrônimo (Big Design Up Front) usado para indicar que todo o desenho da solução é feito antes da execução. Isso é algo bem típico no modelo tradicional de desenvolvimento de software, onde há explicitamente uma etapa de Análise que antecede a etapa de implementação. Assim, no final das contas, BDUF é arte

Horizontes

Como equilibrar horizontes de curto, médio e longo prazo?

Meu amigo Paulo Caroli contou em seu Blog sobre o trabalho que a K21 realizou num grande cliente. O serviço foi inspirado na nomenclatura de horizontes da Mckinsey. Horizontes de planejamento da Mckinsey: H1: horizonte de curto prazo. É a dedicação à sua vaca leiteira atual. H2: horizonte de médio prazo. As empresas tem que alocar

Pronto

“Quando fica pronto?” não é a pergunta mais importante

Com métodos ágeis entregamos mais valor com antecedência e qualidade. Mesmo assim, ainda há pessoas perguntando “Quando fica pronto?”. A pergunta é válida e devemos mesmo nos preparar para respondê-la. Existem várias técnicas que ajudam a simplificar a forma de obter a resposta: Story points, planing poker, #noestimates, algoritmo de Monte Carlo, entre outros. Mas

Dinâmica Meddlers do Management 3.0

A Dinâmica Meddlers do Management 3.0, criada pelo Jurgen Appelo, é de grande utilidade para discutir sobre como alocar as pessoas em diferentes times. O processo de alocação se torna exponencialmente complicado com o aumento do número de pessoas. Uma dinâmica colaborativa e interativa que permite múltiplos cenários investigados em pouco tempo. Temos experimentado os Meddlers para

Knowledge21 na Agile 2015

Este ano o maior evento mundial da comunidade ágil aconteceu no mês de agosto em Washington DC: Agile 2015. O Rodrigo de Toledo estava lá para conferir e trazer as noticias quentes para a gente. O evento de uma semana com quase 20 trilhas em paralelo tinha dezenas de temas diferentes e ao mesmo tempo várias palestras do

Dívida Técnica e Juros Compostos

Recentemente estive na banca de mestrado do Ciro Goulart orientado pelo Rafael Prickladnick, cujo tema era dívida técnica. Este post traz um resumo do assunto e uma reflexão minha sobre os juros que se paga em cima dessa dívida. Toda vez que um time de desenvolvimento não realiza uma alteração no código que geraria uma melhoria