Você tem uma estrela no seu time?

Enquanto lia uma reportagem do El País sobre as recentes desventuras do time do Paris Saint-Germain (PSG) e Neymar. Na matéria o jornalista diz que Neymar se vê isolado do restante do time e comenta de algumas tentativas do presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi, tentando resolver o problema.

Enquanto lia a matéria surgiram situações que já presenciei em Times Ágeis. Alguns problemas que achei relevante e devem estar no radar de gerentes, Scrum Masters, Agile Masters e pessoas com papel de gestor.

Cuidado com a Motivação extrínseca

Segundo Martinelli e Bartholomeu a motivação extrínseca a aquela que temos como resposta a algo externo à tarefa ou atividade. Recompensas materiais e sociais e reconhecimento são bons exemplos disso. Todavia, como diz o famoso ditado popular, “dinheiro não traz felicidade”. Para o Neymar, ser o jogador mais bem pago do mundo, sair da sombra do Messi e ganhar a bola de Ouro funcionou por algum tempo. Parece que não mais. Já para o Cavani não funcionou de forma alguma.

Time de estrelas

Não é porque os indivíduos são excelentes que quando eles ficam juntos formam um time. Lembra dos Galácticos do Real Madri: Figo, Zidane, Beckham, Ronaldo (Fenômeno). Individualmente fantásticos, custou mais de 1 bilhão de euros, porém trouxe um resultado pífio.

Por outro lado, um livro que eu recomendo a leitura é Moneyball: The Art of Winning an Unfair Game escrito por Michael Lewis. Ele fala como o time dos Oakland Athletics considerado mediano e barato se tornou um sucesso da Major League Baseball.

Indivíduo sobre o coletivo

Voltando ao PSG, cada um parece estar pensando em si. O presidente quer um time que acabe com a hegemonia espanhola, Neymar e Cavani querem ser os goleadores, outros jogadores tentam manter seus contratos. Metas individuais se tornam tóxicas para a coletividade.

Falta de liderança clara

O técnico parece estar na “de fora” do problema deixando o presidente, que não está no vestiário, tomar ações (ruins).

Deixa que eu resolvo

O presidente acredita que vai resolver a parada do jeito dele. Dá uma grana para um, manda o recado para outro. A falta de inteligência coletiva e contexto das pessoas de diferentes origens não está sendo considerada e o resultado está deixando as coisas um pouco pior.

Já passei por diversos times de software com algumas dessas características. A solução não é simples e a proporção aqui é bem maior. Todavia, eu sei que é possível revertê-la.

Posts relacionados

Quer saber mais sobre práticas de gestão inspiradora. Conheça o nosso treinamento de Management 3.0.

Autor(es)

Avelino Ferreira
Avelino Ferreira
Agile Expert e Trainer na Knowledge21, Avelino é desenvolvedor de software por formação, já passou por diversos papéis em diferentes organizações: Programador, Líder Técnico, Gerente de Projetos, Scrum Master, Product Owner e Gestor. Durante a carreira, auxiliou empresas a adotarem o Rational Unified Process (RUP), as melhores práticas do PMBOK e a conquistarem certificações como CMMI e MPS.BR. Em 2008 conheceu a Agilidade e desde então tem influenciado organizações a se tornarem mais adaptáveis, eficientes e eficazes.

Comentários

Deixar um comentário