True Agile – O que a Knowledge21 Acredita

2018 é o ano em que o True Agile vai fazer a diferença. Sim, isso mesmo.  True Agile ou Ágil de raiz.

Hoje é necessário que se faça essa distinção uma vez que o “Agile” está definitivamente contaminado por práticas, ideias e conceitos contrários ao que o Agile realmente significa. E é por isso que encontramos por aí:

  • ScrumMasters como coordenadores de time;
  • cliente exercendo o papel de PO;
  • métodos híbridos (bi-modal ,etc);
  • fórmulas prontas;
  • melhoria continua da boca pra fora;
  • complexidade desnecessária;
  • timesheets;
  • transformação de User Story Points para Homem Hora ou Pontos de Função;
  • e por aí vai…

Agile meia-boca é o que mais se vê por aí: torto, faltando pedaço, baseado em conceitos e ideias atrasadas e principalmente top-down, sem empowerment e nada autoorganizado.

Então acredito que chegou a hora de promover o True Agile. Mas, afinal, o que é o True Agile? É aquele do Jeff, do Ken, do Ron, do Fowler e de tantos outros que lá em 2001 sequer perceberam que estavam mudando o mundo ao criar o Manifesto Ágil, seus 4 valores e 12 princípios.

Vida longa ao True Agile.

Autor(es)

Marcos Garrido
Marcos Garrido
Marcos Garrido, co-fundador da Knowledge21, é o único Certified Enterprise Coach (CEC) brasileiro, fazendo parte do seleto grupo de 34 pessoas no mundo que possuem as duas certificações mais importantes da Scrum Alliance. Com grande atuação internacional, possui larga experiência em Transformação Digital e Gestão de Produtos.

Comentários

5 Comments

  1. André Littleton 11/01/2018 em 00:05- Responder

    Perfeito!
    Ótimo artigo, gostei bastante e acredito que muitas organizações precisam disso.
    Gostaria de ajudar nesta causa 🙂
    Abs!

  2. Ednir 28/11/2018 em 19:12- Responder

    Concordo!!! Tô dentro!

  3. Leonardo Rodrigues Marques 20/02/2019 em 14:22- Responder

    Não entendi: “cliente exercendo o papel de PO” é um conceito contrário ao que o Agile realmente significa?

    Tudo que já li até hoje sobre ágil, o cliente é o PO, o cliente deve ser o PO.

    No livro do Rafael Sabbagh, Scrum – Gestão Ágil para Projetos de Sucesso, página 80, ele diz que o PO “é alguem do próprio cliente…”.

  4. […] onde tento resolver problemas e ajudar a desenvolver pessoas e organizações através do True Agile. Espero que desperte o mesmo sentimento em […]

Deixar Um Comentário