Guia do Scrum 2020: quais são as novidades?

Lançado em meio às comemorações dos seus 25 anos no dia 18 de novembro, o Guia do Scrum 2020 traz muitas novidades em sua nova versão. 

Definições foram atualizadas, conceitos que antes não existiam foram adicionados e até alguns termos foram retirados, dando um panorama de como os criadores do Guia, Ken Schwaber e Jeff Sutherland, enxergam o framework atualmente.

Live reúne 3 CSTs da K21 para discutir o novo Guia

Cofundadores da K21 e Certified Scrum Trainers (CSTs), Rafael Sabbagh, Rodrigo de Toledo e Marcos Garrido realizaram uma live no mesmo dia do lançamento do Guia do Scrum 2020 para transmitir as novidades em português e comentar os impactos das atualizações no framework.

A seguir, listamos as principais novidades que foram apresentadas e discutidas na live da K21. Continue lendo para conferir!

Quais foram as atualizações no Guia do Scrum?

As mudanças do Guia do Scrum foram apresentadas com uma abordagem comparativa com relação à versão de 2017.

Resumidamente, foram seis as atualizações de maior impacto:

  • Um Guia 30% menor e menos complexo
  • Troca da nomenclatura “Time de Desenvolvimento” 
  • Criação oficial do objetivo do produto
  • Novos compromissos nos artefatos
  • Substituição do termo auto-organizado que definia o Time de Scrum
  • Adição de um terceiro tópico para a Sprint Planning 

Embora o próprio material se auto-intitule “O Guia Definitivo”, essa versão mais recente parece estar bem longe de ser a última. No decorrer deste artigo, você vai entender o porquê.

Visão geral do Scrum

O tamanho do guia, as bases do Scrum e a sua própria definição sofreram modificações.

Tamanho do guia

“Uma das coisas que me incomodava era o Guia do Scrum ter 19 páginas. Então, foi talvez o que mais me chamou a atenção.”
Rodrigo de Toledo

Mais enxuto, o Guia do Scrum 2020 diminuiu o seu tamanho em 30%, passando de 19 para 13 páginas em sua versão original, em inglês. 

Além dessa modificação quanto ao tamanho, ao que os criadores chamaram de “mais lean”, essa não teria sido a única mudança estrutural, segundo Rafael Sabbagh. 

Para ele, a linguagem está mais simplificada, mais compreensível para outros públicos. Foram inclusive retirados termos que ainda existiam como resquícios de referências a softwares.

Definição do Scrum

“Essa definição foi melhorando, foi evoluindo ao longo do tempo e hoje ficou uma coisa muito mais genérica, muito mais aberta. (…) Melhoria contínua que se chama.”
Marcos Garrido

Enquanto o Guia de 2017 se referia apenas a pessoas para a resolução de problemas complexos no Scrum, a versão de 2020 contempla também times e organizações, além de simplificar o processo pelo qual ocorre a geração de valor.

“Scrum é um framework leve que ajuda pessoas, times e organizações a gerar valor por meio de soluções adaptativas para problemas complexos.”
Guia do Scrum 2020

Bases do Scrum

“Finalmente o Scrum admite que tem as bases no Lean Thinking, que remete ao sistema Toyota de produção.”
Rafael Sabbagh

Rafael observa que há muitos elementos do lean no Scrum e no ágil de forma geral, como buscar a melhoria contínua, evitar o desperdício, manter o ritmo sustentável e tantas outras que aparecem no Manifesto Ágil de alguma forma, mas que não estavam ditas explicitamente no Scrum até este Guia de 2020.

Time de Scrum

A modificação de algumas nomenclaturas dentro do Time de Scrum levam a uma mudança de perspectiva da própria atuação do time. 

“Time de Desenvolvimento” passa a “Desenvolvedores”

“Lembrem-se: Desenvolvedores ‘do produto’. Uma crítica que se pode fazer a esta mudança é esta confusão que a gente pode ter e muita gente já tinha com Time de Desenvolvimento.”
Rafael Sabbagh

Agora, o Time de Scrum é formado por:

Desta forma, não há mais de um time, como antes, em que tínhamos o Time de Desenvolvimento e o Time de Scrum. Há somente um time (Time de Scrum) que está focado em um produto, trabalhando junto, com responsabilidades compartilhadas.

“Papéis” são substituídos por “responsabilidades”

“A palavra utilizada agora é accountabilities, não tem tradução direta para o português.”
Rafael Sabbagh

Em inglês, vemos a mudança de “roles” para “accountabilities” para se referir às atribuições de cada integrante do Time de Scrum. Na versão em português, temos a palavra “papéis” substituída por “responsabilidades”.

Além da nomenclatura, podemos observar que o Scrum Master, o Product Owner e os Desenvolvedores (como agora são chamados os integrantes do antigo Time de Desenvolvimento) são mais identificados pelas responsabilidades atribuídas do que pelo seu status. 

Atributos são apenas para o Time de Scrum

“Me lembro muito bem do Craig Larman no treinamento de LeSS (Large-Scale Scrum) que eu fiz lá em Denver falando exatamente sobre isso, que a gente deveria chamar de autogerenciado em vez de auto-organizado, e essa foi uma discussão bem grande, e agora já está lá no Scrum Guide.”
Marcos Garrido

Com a existência agora de apenas um time (Time de Scrum), os atributos do time são relacionados somente a ele. E não mais ao Time de Desenvolvimento, que deixa de existir.

Portanto, há uma mudança também nos atributos. Quando existia, ao time de desenvolvimento eram atribuídas as características de multifuncional e auto-organizado.

Com apenas o Time de Scrum existindo, é mantida a atribuição de multifuncional, mas, no lugar de auto-organizado, o atributo passa a ser “autogerenciado”. Isso ocorre porque o Product Owner (PO) está dentro do time.

Dessa maneira, enquanto a auto-organização previa a decisão de “quem” e “como”, o autogerenciamento inclui “o quê”, que é de responsabilidade do PO.

Cai o uso do termo “líder-servidor”

“Este novo guia ao mesmo tempo quis dar uma liberdade de não forçar o uso do framework de liderança-servidora, mas quis dizer que o Scrum Master serve ao Time de Scrum como um todo e, de novo, à organização mais ampla.”
Rafael Sabbagh

No Guia de 2017, o conceito de líder-servidor de Robert K. Greenleaf era atribuído ao Scrum Master. Agora, a definição trata dos SM como “líderes que servem ao Time de Scrum e à organização mais ampla.”

Durante a apresentação das atualizações no Brasil, Marcos Garrido comentou que a discussão sobre a eliminação da palavra “servidor” do Guia do Scrum já acontecia na Scrum Alliance. O motivo seria a conotação negativa, que está levando ao desuso do termo.

Responsabilidade direta do Scrum Master

“Todo o trabalho que o SM faz de ensinar Scrum, de remover impedimentos, de facilitar e cuidar da qualidade, de habilitar o time a fazer o trabalho e melhorar as suas plásticas é com o objetivo de melhorar a eficácia do Time de Scrum. E ele é responsável por isso.”
Rafael Sabbagh

A definição de Scrum Master também sofreu alterações. Agora, o Guia o coloca diretamente como “responsável pela eficácia do Time de Scrum”, algo que antes estava implícito. 

Isso mostra que o Guia do Scrum 2020 teve a intenção de acabar com aspectos subentendidos ou que pudessem não estar claros o suficiente nas definições.

Product Owner pode “delegar para outros”

“Delegar não é ‘de largar’.”
Marcos Garrido

Como modificação na descrição do trabalho do Product Owner, apareceu uma expressão que gerou polêmica na discussão:

“O Product Owner pode realizar o trabalho acima [gestão do Product Backlog] ou pode delegar a responsabilidade para outros.”
Guia do Scrum 2020

Neste caso a palavra “outros” aparece na frase em substituição a “time de desenvolvimento”, que constava na versão anterior.

Portanto, o Guia do Scrum 2020 deixa em aberto a quem o PO pode delegar a responsabilidade de realizar a gestão do Product Backlog. 

Marcos Garrido alerta que esta interpretação deve ser cuidadosa. Para ele, “delegar a responsabilidade” está mais para “compartilhar a responsabilidade” do que passá-la completamente a terceiros.

Quanto ao mesmo termo, Rafael Sabbagh considera ser possível haver um jogo de palavras entre “accountability” e “responsability”. Porque a primeira está muito mais voltada ao PO continuar tendo a responsabilidade, mesmo que passe uma tarefa para outros realizarem.

Rodrigo de Toledo levanta a questão da possibilidade da expressão ter uma ligação com a apreciação de uma inteligência coletiva. Ou seja, o PO não estaria sozinho quando pensasse as coisas. E sua responsabilidade individual neste caso seria da decisão (não do pensamento).

Muda o tamanho do Time de Scrum

“Todo mundo sabe, times com 10 pessoas são times muito grandes. Então, 10 ou menos mas, pelo amor de Deus (brinca), menos de 10.”
Marcos Garrido

Como agora não existe mais o Time de Desenvolvimento, a definição do tamanho do time passa a ser voltada para todo o Time de Scrum. 

Rafael Sabbagh comenta que houve uma evolução do tamanho dos times no Scrum. Começou com a recomendação de 5 a 9 pessoas no (antigo) Time de Desenvolvimento. Depois, mudou para 3 a 9. Até chegar agora à recomendação de ter “10 ou menos membros” no Time de Scrum como um todo (entre Scrum Master, Product Owner e Desenvolvedores).

Na opinião de Rodrigo de Toledo e dos outros dois CSTs, este número nunca foi exato, mas apenas uma referência para se trabalhar com o Scrum. Pois quando a quantidade de integrantes é grande, pode haver a formação de subgrupos, que não é o ideal para o framework. Segundo Rodrigo, um bom número para um Time de Scrum é seis, pela possibilidade do trabalho poder ocorrer em pares.

Eventos do Scrum

As atualizações do Guia do Scrum 2020 deixam os eventos muito mais flexíveis e adaptáveis às necessidades do time.

Definição de timebox não mais se aplica à Sprint

“Pode  fazer sprint de 29 dias? Pode fazer sprint de 7, de 4? Pode fazer sprint de 1 dia, que é o nosso famoso EVDnC? Pode, claro que pode!”
Marcos Garrido

Para Rafael Sabbagh, esta mudança ocorreu porque o termo timebox tem mais sentido se entendido como a duração máxima. Enquanto o sprint tem sempre a mesma duração.

As três perguntas não aparecem mais na Daily Scrum

“A gente já viu tantas formas de fazer Daily Scrum… E as formas mais maduras não seguem este formato (das três perguntas), então elas saíram do guia.”
Rafael Sabbagh

Desde 2017, as perguntas que estavam relacionadas à Daily Scrum já eram colocadas como uma sugestão. No Guia do Scrum 2020, elas foram retiradas por completo. 

Marcos Garrido relembra que o co-criador do Scrum, Jeff Sutherland, já havia falado sobre a remoção das três perguntas. Um problema apontado pelo CST é que a utilização delas ocorre muitas vezes de forma robótica.

Daily Scrum não é o único ponto de interação do time

“A ideia aqui é reforçar que a Daily Scrum não é o único momento (de inspeção/adaptação no dia).”
Rafael Sabbagh

Como o trabalho no Scrum prega uma interação e troca constante de comunicações do time no decorrer do dia de trabalho, o Guia do Scrum 2020 reforça diretamente essa ideia:

“A Daily Scrum não é o único momento em que os Desenvolvedores podem ajustar o seu plano. Eles frequentemente se encontram durante o dia para discussões mais detalhadas sobre adaptação ou replanejamento do resto do trabalho do Sprint.”
Guia do Scrum 2020

A definição agora busca enfatizar que as pessoas trabalham juntas ao longo do dia, mesmo no online, diz Rafael Sabbagh. Já Rodrigo de Toledo pondera que não se deve seguir o Guia rigidamente, mas adaptá-lo às necessidades de cada time.

Sprint Planning ganha mais um tópico

“Qual valor a gente vai gerar a partir do Sprint? Ou seja, é a definição do Sprint goal. (…) “O sprint goal é uma tentativa de criar uma coesão, uma direção para o trabalho do time que esteja alinhado ao objetivo do produto.”
Rafael Sabbagh

O Guia do Scrum 2020 acrescenta um tópico que pode ser entendido como a importância de se definir o objetivo da Sprint. Juntos, os três tópicos estão assim:

  • Tópico 1: Por que esta Sprint é valiosa?
  • Tópico 2: O que pode ser feito nesta Sprint?
  • Tópico 3: Como o trabalho escolhido será realizado?

Embora enumerados, Rafael acredita que a ordem pode ser orgânica. Para ele, este movimento da definição é no sentido de reforçar o valor da Sprint.

Toledo complementa que antes desse tópico o objetivo da Sprint era deixado de lado ou distorcido. E arrisca dizer que ainda não chegaram na causa raiz do porquê do sprint goal acabar sendo abandonado. Mas este novo tópico é uma tentativa de fortalecer a importância de se olhar para o objetivo da Sprint Planning.

Seção Cancelamento do Sprint é removida

“Agora, simplesmente vai no core da questão.”
Rafael Sabbagh

No Guia do Scrum 2017, havia uma seção inteira sobre o Cancelamento do Sprint. Na versão de 2020, toda a seção foi removida, restando apenas duas frases sobre o assunto:

“Uma Sprint pode ser cancelada se a Meta da Sprint se tornar obsoleta.
Apenas o Product Owner tem autoridade para cancelar a Sprint.”
Guia do Scrum 2020

Artefatos e Compromissos do Scrum

Surgiram novas definições para artefatos, incluindo os compromissos. 

Criação dos compromissos dos artefatos

“Uma das grandes modificações do Guia foi a criação dos compromissos, são compromissos dos artefatos.”
Rafael Sabbagh

No Guia do Scrum 2020, foram criados os compromissos dos artefatos. De forma sucinta, temos que:

  • o objetivo do Sprint é atingido quando cumprimos o Sprint Backlog;
  • por sua vez, o objetivo do Produto é cumprido a partir do Product Backlog;
  • e a Definição de Pronto (Definition of Done ou DoD) é algo que os itens que fazem parte do incremento têm que cumprir para, de fato, fazerem parte do entregável.

Rafael comenta que a Definição de Preparado (Definition of Ready) não existe no Guia do Scrum, mas que o termo consta na atualização do seu livro que será relançado em breve.

Definição de Meta do Produto

“A palavra produto tá ganhando uma força no Scrum Guide!”
Marcos Garrido

De forma informal, era utilizado o termo “visão do produto”. Com a nova definição adicionada ao Guia do Scrum 2020, o termo correto passa a ser Meta do Produto que, segundo o guia, “descreve um estado futuro do produto que pode servir como um alvo para o Scrum Team planejar. A Meta do produto está no Product Backlog.”

Entregas podem ser feitas durante a Sprint

“Na prática, todo mundo já tratava assim, mas o Guia tratava de uma maneira diferente (os incrementos).”
Marcos Garrido

A possibilidade da criação de múltiplos incrementos em uma Sprint é agora prevista no Guia do Scrum 2020. Enquanto o anterior contemplava como um incremento a soma dos itens do Product Backlog completados durante a Sprint.

Finalmente, uma definição oficial de Produto!

“É uma coisa que curti. A gente fala tanto de produto. Eles trouxeram uma definição oficial para produto.”
Rafael Sabbagh

“Um produto é um veículo para entregar valor. Ele possui fronteiras claras, stakeholders conhecidos, usuários ou clientes bem definidos. Um produto pode ser um serviço, um produto físico ou algo mais abstrato.”
Guia do Scrum 2020

A definição de produto que antes não existia no Guia do Scrum traz uma abertura a esse “produto” se tratar de algo físico ou abstrato, além de englobar também os serviços.

Questão polêmica!

Uma pessoa como SM e desenvolvedor? Ou como PO e desenvolvedor ao mesmo tempo?

Bote o bode na sala - adesivo K21

Ao final da apresentação das atualizações do Guia do Scrum 2020, Marcos Garrido faz uma provocação na discussão, trazendo uma frase que agora integra o material, na seção da Daily Scrum:

“Se o Product Owner ou o Scrum Master estão trabalhando ativamente nos itens do Sprint Backlog, eles participam como Developers.”
Guia do Scrum 2020

Rodrigo de Toledo comenta que quando há dois papéis juntos em uma só pessoa, há uma disfunção, o que não significa que é um erro, mas que não era para ser assim.

Para ele, pode fazer sentido que essa disfunção exista em um determinado contexto por um tempo. Mas considera um risco deixar a frase no Guia. Pois a disfunção pode ser entendida como encorajada a continuar com ela. E, na opinião dele, ela tem que ser resolvida a partir do momento em que é identificada.

Conclusão

É evidente que o Guia do Scrum está finalmente olhando para algumas questões novas e retirando outras obsoletas. E com essas tentativas, é claro, há erros e acertos, o que deixa o Guia longe de ser “definitivo”.

Ao contrário, podemos considerar que ele é um produto em melhoria contínua. Acesse o guia original completo em português, e se quiser se aprofundar no Scrum, participe do treinamento Certified ScrumMaster!

O que você achou das atualizações do Guia?

Como elas irão impactar o seu trabalho com o framework? Deixe sua opinião nos comentários!

Autor(es)

Knowledge21

Transformar pessoas e organizações ao redor do mundo é o que nos move. Mais do que ferramentas e métodos, promovemos uma nova cultura, onde negócios e pessoas entregam valor continuamente, experimentando, aprendendo e melhorando diariamente.

Comentários

Deixar um comentário