Como construir um roadmap de produto

Em muitas empresas, o processo de desenvolvimento de produtos começa com ideias de novas funcionalidades. Essas funcionalidades são priorizadas com base no retorno esperado e no custo de desenvolvimento, cria-se um roadmap e envia para o time executar. Isso lhe soa familiar? Neste caso, há uma grande possibilidade de se perder na construção da solução, aumentando exponencialmente a chance de construir coisas demais que ninguém usa, além de engessar a capacidade da sua empresa de responder de forma rápida e eficaz às mudanças de mercado e a experiência dos seus clientes.

Dado o contexto acima, vamos aos fatos:

O problema com o roadmap tradicional

Quanto mais massa tiver um objeto, mais energia é necessária para mudar sua direção. É uma verdade tanto para o mundo físico como para o mundo dos negócios.

No roadmap tradicional existe a ilusão do super planejamento, dando uma falsa sensação de segurança e previsibilidade aos stakeholders. No entanto, tal prática aumenta a rigidez do processo, diminui a capacidade criativa, e também, o foco na real necessidade dos clientes. A consequência é desenvolver recursos que nunca serão utilizados, desperdiçando tempo e energia.

Roadmap enxuto

“Planejamento é saber que você precisa mudar a rota a cada 30 minutos” – Amyr Klink

Isso significa ter menos massa. Menos massa significa conseguir mudar rapidamente. Decidir lançar novas funcionalidades agora ou mais tarde. Reagir ao mercado ou evoluir o seu produto. Ouvir e atender as necessidades dos clientes. Diminuir o custo das mudanças.

Quanto mais caro for para fazer uma mudança, menos chances ela terá de ser realizada. Seus concorrentes podem mudar mais rápido e você fica em uma enorme desvantagem. Se a mudança for cara demais, você está morto.

A capacidade de mudar num piscar de olhos é algo que produtos enxutos têm por natureza, e que produtos frankenstein nunca conseguirão ter. Mudanças rápidas e baratas são a arma para ter sucesso num mercado em constante mudança.

Quando falamos sobre roadmap, queremos ter visibilidade, capacidade de adaptação e previsibilidade com possibilidades para mudar de direção rapidamente e não um compromisso de entregar tudo o que foi planejado. Isso vem através da clareza sobre: objetivos, métricas, desafios e quais necessidades dos nossos clientes acreditamos que devemos resolver para alcançar os resultados de negócio e impactar positivamente os clientes.

Como construir um roadmap de produto mais eficaz?

Roadmap de Produtos

No golden circle, defina qual é o objetivo de médio ou longo prazo, como medir o sucesso e o quê deve ser entregue.

    1. OBJETIVOS: Quais são os objetivos de curto prazo? Quais problemas, necessidades ou oportunidades?
    2. MÉTRICAS: Quais métricas utilizaremos para saber se alcançamos sucesso?
    3. DESAFIOS: Quais desafios precisamos vencer para chegar lá?
    4. HIPÓTESES: Quais hipóteses de necessidades dos clientes acreditamos que precisam ser resolvidas para atingir os resultados esperados?

O tempo para cada objetivo depende do seu modelo de negócio. Podemos considerar dias, semanas ou meses. Idealmente, tente o menor ciclo que conseguir.

Como começar?
Agora que você já sabe o que é um roadmap de produto mais eficaz, chegou a hora de colocar a mão na massa. Faça o download da planilha Roadmap de Produto que disponibilizamos para você.

Curtiu? Não esqueça de deixar seu comentário sobre o artigo!

Aproveite e garanta sua participação no treinamento de Certified Scrum Product Owner.

Autor(es)

Magno de Santana
Magno de Santana
Apaixonado por inovação, com experiência em desenvolvimento de produtos digitais utilizando práticas de Design Thinking, Lean Startup e Desenvolvimento Ágil

Comentários

5 Comments

  1. Ronaldo 17/07/2019 em 22:40- Responder

    Muito bom artigo!

  2. Thiago 18/07/2019 em 09:29- Responder

    Olá Magno. Ótima proposta! Irei tentar aplicá-la. Como sugestão, seria interessante que a planilha de Roadmap de Produto estive preenchida com um exemplo de um produto fictício!

    • Magno de Santana 21/07/2019 em 14:59- Responder

      Obrigado Thiago! Em breve deixo um exemplo na planilha para tangibilizar um pouco mais. 🙂

  3. Rosemeire Zinetti Bittencourt 14/01/2020 em 11:22- Responder

    Ótimo artigo. Mas uma dúvida, como validar as HIPÓTESES?

    • Andressa Chiara
      Andressa Chiara 29/01/2020 em 17:16- Responder

      Oi Rosemeire!
      Temos alguns conteúdos sobre validação de hipóteses, como por exemplo este artigo aqui.
      Também recomendamos conteúdos como o test card e o learning card do Strategyzer. Eles ajudam muito a estruturar a validação de hipóteses de uma forma mais simples e fácil.

Deixar Um Comentário