Características de equipes de alta performance: Valores

Este é o primeiro artigo de uma série de três em que vamos compartilhar as principais características encontradas em times de alta performance. A análise leva em consideração o que aprendemos nos últimos 11 anos de experiência em treinamentos e coaching em grandes empresas e organizações.

Equipes de alta performance são inacreditavelmente raras. Isto é um fato, mas a questão é o porquê. Por que é tão difícil alcançar um estado elevado? Existem vários fatores internos e externos que nos ajudam a entender o porquê, quando e como isso acontece.

Acreditamos que as características de times de alta performance são categorizadas em três grupos: valores, práticas e estrutura.

Vamos explorar cada um dos grupos, mas não se prenda à ordem em que eles serão apresentados, afinal, a ordem dos fatores não altera o produto.

No artigo de hoje vamos falar sobre os valores.

Os valores de um time de alta performance estão relacionados ao modelo mental da equipe; inclui crenças, aspectos culturais e regras básicas.

1) Motivação

Estamos falando do que faz realmente você feliz, aumentando sua vontade de aprender e de enfrentar novos desafios. As melhores equipes que conhecemos estão cercadas por motivações intrínsecas e protegem-se de fatores externos, empurrando-os para outra direção.

Existem dois tipos de motivação:

  • Motivação extrínseca é influenciada por fatores externos, tal como dinheiro, poder, pressão, imagem e etc.
  • Motivação intrínseca, como Daniel Pink ressalta, é aquela que acorda você para a corrida diária do trabalho. E não estamos falando sobre o seu despertador.

2) Melhoria contínua

“Em intervalos regulares, o time reflete como ficar mais efetivo, então, se ajustam e otimizam seu comportamento de acordo.”
Manifesto Ágil.

Equipes de alta performance são inconformadas, não se contentam com status quo e estão sempre em busca de novas formas para serem mais eficazes.

3) Coacheável

Equipes que estão sempre abertas à feedback e dispostas a esquecer crenças do passado para experimentar o novo.
O que é feedback?

4) Orgulho

Uma equipe que comemora junto as falhas, lições e sucessos aprendidos ao longo de uma jornada está no caminho certo para criar um vínculo capaz de durar muito tempo. É impressionante quando vemos equipes comemorando suas conquistas. Se você não está realmente orgulhoso do que quer que você tenha conseguido é porque provavelmente não se importa.

5) Confiança

As equipes de alta performance confiam em si mesmas e também em seus líderes. Quando a confiança está ausente, as equipes estão sempre lutando contra o fato de não conhecer a verdadeira razão por trás de algumas práticas e regras. A confiança é uma via de mão dupla: ela não funciona quando você confia em alguém que não confia em você. A falta de confiança reduz, se não elimina, pró-atividade, que, por si mesma arruína tudo.

6) Propósito

“Pra quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve”. A afirmação do Mestre Gato em Alice no País das Maravilhas é perfeita para entendermos a importância de se definir o nosso propósito. Se você não sabe para onde está indo, então qualquer direção é adequada para você. A falta de propósito desmotiva qualquer um. Certificar-se de que a equipe sabe por que eles estão fazendo o que estão fazendo pode não garantir o sucesso, mas orienta o time para uma mesma direção, pois o pior cenário ocorre quando cada membro aponta para diferentes direções. Não há sinergia quando isso acontece, e acontece com mais frequência do que você imagina.
times de alta performance

 

Continue lendo:

Características de times de alta performance: Práticas – Parte 2
Características de times de alta performance: Estrutura – Parte 3

Comente, compartilhe e faça sugestões – para o seu e o nosso time 😉

Autor(es)

Marcos Garrido
Marcos Garrido
Marcos Garrido, co-fundador da Knowledge21, é o único Certified Enterprise Coach (CEC) brasileiro, fazendo parte do seleto grupo de 34 pessoas no mundo que possuem as duas certificações mais importantes da Scrum Alliance. Com grande atuação internacional, possui larga experiência em Transformação Digital e Gestão de Produtos.

Comentários

Um Comentário

  1. Saulo Cestari 22/11/2017 em 10:58- Responder

    Ótimo artigo, acredito que o grande facilitador e o start é proposito, afirmo empiricamente!

Deixar Um Comentário